sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Lua Cheia

Brilho intenso no céu
Negro,
Com sorriso branco
No canto da boca.
Surpresa
Na tua chegada,
Repentina,
lua cheia de sonhos,
Intensos e gloriosos,
Olhar-te é...
Saber que vivo,
Em permanência
Com uma vontade
Imensa,
De sempre te ver.

Vítor Fernandes

sábado, 22 de outubro de 2011

Outra realidade

Perco-me finalmente
Em ti.
Ainda que, para já,
Só em meras
Palavras,
Sentidas
Não floridas.
Palavras de amor
Que me rasgam a razão.
Sinto o teu suave toque,
Na minha alma,
Leve,
Como o amor que sinto
Pelo pensamento
Em que te tenho.
Sonho-te...
A realidade és tu!


Vítor Fernandes

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Absorto

Tu és o meu melhor segredo...
Respiro
Em ti a alma que sopra
Em mim.
Roubo aos céus a vontade de ficar
Perdido em ti.
Não chega
A calma não acalma a ausência
De vida
No que não sou.


Vítor Fernandes

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

O circo

Espuma, nas notas soltas da vida...
Mergulho intenso no nada
Que exalas em cada gesto obtuso.
Concretamente? O circo!!!
Roubada a normalidade do acto,
Que pureza há na realidade?
Rebanhos marcham na fila
Empurrados por...sede!!!
Secas as gargantas de vida.
Não sobreviver, sofrer, o dia que já passou
E o outro que vem já aí.
Aí está o malabarismo,
mais um dia de acrobacia,
Vazia, no vazio do nada
Que já nem isso é.
Rotura com as fundações da tenda.
Mudar o sítio? Não!!!
Mudar a vontade de ter esta realidade.


Vítor Fernandes